BRB - Banco de Brasília

Crédito Agronegócio

Você está em: Para sua Empresa»Crédito»Linhas de Crédito»Crédito Rural

Crédito Rural

 

Um verdadeiro incentivo à atividade rural. Com o Crédito Rural do BRB, você encontra o financiamento que precisa para fomentar o desenvolvimento e o crescimento dos seus negócios. É o Banco de Brasília acreditando e investindo na força que vem do campo.

Objetivos

  • Estimular os investimentos rurais para a produção, extrativismo não predatório, armazenamento, beneficiamento e industrialização dos produtos agropecuários, quando efetuados pelo produtor na sua propriedade rural, por suas cooperativas ou por pessoa física ou jurídica equiparada aos produtores.
  • Favorecer o oportuno e adequado custeio da produção e comercialização de produtos agropecuários.
  • Fortalecer o setor rural.
  • Incentivar a introdução de métodos racionais no sistema de produção, visando ao aumento do padrão de vida das populações e à adequada defesa do solo.

Finalidades

CUSTEIO: Destina-se a cobrir despesas normais dos ciclos produtivos, tanto agrícolas quanto pecuários.

INVESTIMENTO: Visa cobrir as aplicações em bens ou serviços cujo desfrute se estenda por vários períodos de produção. Também engloba agricultura e pecuária.

COMERCIALIZAÇÃO: Modalidade voltada à cobertura de despesas próprias de fase pós-colheita da produção ou conversão em espécie dos títulos oriundos de sua venda ou entrega pelos produtores ou suas cooperativas.

 

Confira abaixo as linhas de crédito rural do BRB e solicite aquela que se adequa ao seu negócio. Procure uma de nossas agências que operacionalizam o Crédito Rural e converse com os nossos gerentes.

Veja também:

CUSTEIO AGRÍCOLA: concessão de crédito para financiar as despesas normais dos ciclos produtivos de lavouras periódicas e manutenção de lavouras permanentes.

BENEFICIÁRIOS: Produtores Rurais PF/PJ, inclusive suas cooperativas.

ITENS FINANCIÁVEIS: Adubos, fertilizantes e demais insumos necessários à implantação das lavouras e culturas.

 

CUSTEIO PECUÁRIO: Concessão de crédito para financiamento de despesas relacionadas à atividade pecuária (bovinocultura, suinocultura, avicultura, etc) - (Ex.: limpeza de pastagens; 

aquisição de sal, ração, medicamentos).

BENEFICIÁRIOS: Produtores Rurais PF/PJ, inclusive suas cooperativas.

ITENS FINANCIÁVEIS: Despesas relacionadas à atividade pecuária (bovinocultura, suinocultura, avicultura, etc), tais como limpeza de pastagens; aquisição de sal, ração, medicamentos, e etc).

 

FCO RURAL: Financiamento para custeio e investimento da atividade agropecuária

BENEFICIÁRIOS: Produtores rurais pessoas físicas e  jurídicas, associações e cooperativas de produtores localizados no Distrito Federal e RIDE (Exceto municípios de MG) e com Renda Bruta Anual de até R$ 16 milhões.

ITENS FINANCIÁVEIS: Todos os bens e serviços necessários ao empreendimento, ressalvadas as vedações estabelecidas na Programação Financeira do FCO, título III, item 2.1.

 

PRONAMP CUSTEIO AGRÍCOLA: Financiamento para custeio, admitida a inclusão de verbas para atendimento de pequenas despesas conceituadas como de investimento e manutenção do beneficiário e de sua família.

BENEFICIÁRIOS: Proprietários rurais, posseiros, arrendatários ou parceiros que tenham, no mínimo, 80% (oitenta por cento) de sua renda bruta anual originária da atividade agropecuária ou extrativa vegetal e possuam renda bruta anual de até R$1.760.000,00 (um milhão setecentos e sessenta mil reais), considerando nesse limite a soma de 100% (cem por cento) do Valor Bruto de Produção (VBP), 100% do valor da receita recebida de entidade integradora e das demais rendas provenientes de atividades desenvolvidas no estabelecimento e fora dele e 100% das demais rendas não agropecuárias.

ITENS FINANCIÁVEIS: Despesas normais do ciclo produtivo de lavouras periódicas, da entressafra de lavouras permanentes ou da extração de produtos vegetais espontâneos ou cultivados, incluindo o beneficiamento primário da produção obtida e seu armazenamento no imóvel rural ou em cooperativa.

 

PRONAMP CUSTEIO PECUÁRIO: Financiamento para custeio, admitida a inclusão de verbas para atendimento de pequenas despesas conceituadas como de investimento e manutenção do beneficiário e de sua família.

BENEFICIÁRIOS: Proprietários rurais, posseiros, arrendatários ou parceiros que tenham, no mínimo, 80% (oitenta por cento) de sua renda bruta anual originária da atividade agropecuária ou extrativa vegetal e possuam renda bruta anual de até R$1.760.000,00 (um milhão setecentos e sessenta mil reais), considerando nesse limite a soma de 100% (cem por cento) do Valor Bruto de Produção (VBP), 100% do valor da receita recebida de entidade integradora e das demais rendas provenientes de atividades desenvolvidas no estabelecimento e fora dele e 100% das demais rendas não agropecuárias.

ITENS FINANCIÁVEIS: Aquisição de animais para recria e engorda, quando se tratar de empreendimento conduzido por produtor rural independente. E aquisição de insumos, em qualquer época do ano.

 

PRONAF: O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) destina-se a estimular a geração de renda e melhorar o uso da mão de obra familiar, por meio do financiamento de atividades e serviços rurais agropecuários e não agropecuários desenvolvidos em estabelecimento rural ou em áreas comunitárias próximas.

1. O que é o Pronaf?

2. Quem são os beneficiários do Pronaf?

3. Quem deve fornecer a Declaração de Aptidão ao Pronaf?

4. A que pode se destinar o crédito do Pronaf financiado no BRB?

5. Como podem ser concedidos os créditos do Pronaf?

6. É necessária a apresentação de garantias para obtenção de financiamento do Pronaf? Como é feita a escolha dessas garantias?

 

1. O que é o Pronaf?

O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) destina-se ao apoio financeiro das atividades agropecuárias e não agropecuárias exploradas mediante emprego direto da força de trabalho do produtor rural e de sua família.

Entende-se por atividades não agropecuárias os serviços relacionados com turismo rural, produção artesanal, agronegócio familiar e outras prestações de serviços no meio rural, que sejam compatíveis com a natureza da exploração rural e com o melhor emprego da mão de obra familiar.

 

2. Quem são os beneficiários do Pronaf?

São beneficiários do Pronaf as pessoas que compõem as unidades familiares de produção rural e que comprovem seu enquadramento, mediante apresentação da Declaração de Aptidão ao Programa (DAP), observado o que se segue:

a) explorem parcela de terra na condição de proprietário, posseiro, arrendatário, comodatário, parceiro, concessionário do Programa Nacional de Reforma Agrária (PNRA), ou permissionário de áreas públicas;

b) residam na propriedade ou em local próximo;

c) não detenham, a qualquer título, área superior a 4 (quatro) módulos fiscais, contíguos ou não, quantificados conforme a legislação em vigor;

d) no mínimo, 50% (cinquenta por cento) da renda bruta familiar seja originada da exploração agropecuária e não agropecuária do estabelecimento;

e) tenham o trabalho familiar como predominante na exploração do estabelecimento, utilizando mão de obra de terceiros de acordo com as exigências sazonais da atividade agropecuária, podendo manter empregados permanentes em número menor que o número de pessoas da família ocupadas com o empreendimento familiar;

f) tenham obtido renda bruta familiar nos últimos 12 meses de produção normal, que antecedem a solicitação da DAP, de até R$360.000,00 (trezentos e sessenta mil reais), considerando neste limite a soma de 100% (cem por cento) do Valor Bruto de Produção (VBP), 100% do valor da receita recebida de entidade integradora e das demais rendas provenientes de atividades desenvolvidas no estabelecimento e fora dele, recebida por qualquer componente familiar, excluídos os benefícios sociais e os proventos previdenciários decorrentes de atividades rurais;

g) caso a renda bruta anual proveniente de atividades desenvolvidas no estabelecimento seja superior a R$1.000,00 (um mil reais), admite-se, exclusivamente para efeito do cômputo da renda bruta anual utilizada para o cálculo do percentual de que tratam as alíneas “d” e “f” deste item, a exclusão de até R$10.000,00 (dez mil reais) da renda anual proveniente de atividades desenvolvidas por membros da família fora do estabelecimento.

 

3. Quem deve fornecer a Declaração de Aptidão ao Pronaf?

A Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) válida, nos termos estabelecidos pela Secretaria de Agricultura Familiar (SAF) do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), deve ser emitida por agentes credenciados pelo MDA, observado ainda que:

a) deve ser emitida por agentes credenciados pelo MDA;

b) deve ser elaborada para a unidade familiar de produção, prevalecendo para todos os membros da família que compõem o estabelecimento rural e explorem as mesmas áreas de terra;

c) pode ser diferenciada para atender a características específicas dos beneficiários do Pronaf.

 

4. A que pode se destinar o crédito do Pronaf financiado no BRB?

Os créditos podem destinar-se ao custeio através do financiamento das atividades agropecuárias e não agropecuárias de acordo com projetos específicos ou propostas de financiamento.

 

5. Como podem ser concedidos os créditos do Pronaf?

Os créditos podem ser concedidos de forma individual ou coletiva (quando formalizados com grupo de produtores, para finalidades coletivas).

 

6. É necessária a apresentação de garantias para obtenção de financiamento do Pronaf? Como é feita a escolha dessas garantias?

Sim. A escolha das garantias é de livre convenção entre o financiado e o financiador, que devem ajustá-las de acordo com a natureza e o prazo do crédito.

 

AGÊNCIAS DO BRB QUE OPERACIONALIZAM O CRÉDITO RURAL:

  • Ag. Brazlândia;
  • Ag. Ceasa;
  • Ag. Planaltina;
  • Ag. Unaí.

 

DIREITOS DO PRODUTOR:

-  

  • Exigir assistência técnica durante a vigência da operação, quando contratada;

  • Ter prorrogação de seus vencimentos, quando amparado pelo MCR 2.6.9;

  • Ter os comprovantes de pagamentos das parcelas;

  • Ter uma cópia do instrumento de crédito;

  • Ser informado quando do deferimento ou indeferimento de seus pleitos;

  • Obter informações referentes aos seus financiamentos.

 



DEVERES DO PRODUTOR:

  • Apresentar a nota fiscal ou comprovante de aquisição dos equipamentos, maquinários, insumos, ou animais adquiridos com o financiamento até o 30º dia da liberação do crédito;

  • Comunicar ao banco, por escrito, anormalidades na condução da operação, tais como: adversidades climáticas prejudiciais ao empreendimento (chuva, seca, granizo), doença e mortalidade de animais, dificuldade de comercialização, entre outras que se ache necessário;

  • Manter em sua posse e em perfeitas condições as garantias oferecidas e ainda ter ciência de que não poderá vende-las sem anuência prévia do banco;

  • Manter em dia o pagamento das parcelas;

  • Exigir da assistência técnica pelo menos três laudos em cada ano da vigência da operação e comunicar ao banco a substituição do assistente ou possíveis problemas de relacionamento;

  • Comunicar ao banco, formalmente, a alteração de empreendimento ou alteração de loclização do empreendimento relatando os motivos;

  • Manter em dia o seguro obrigatório dos maquinários e equipamentos durante a vigência do financiamento;

  • Afixar os brincos identificadores nos animais bovinos adquiridos com o financiamento, quando for o caso.

 


CONDIÇÕES GERAIS:

Para ter agilidade na análise do seu processo, é importante que o produtor apresente a completa documentação necessária. A falta ou atraso na entrega dessa documentação pode implicar morosidade no trâmite e até no indeferimento do pleito.

 

Razão Social: BRB - Banco de Brasília SA | CNPJ: 00.000.208/0001-00 | Endereço da Sede: SBS Qd. 01, Bl. E Ed. Brasília - Brasília/DF - Cep: 70.072-900